Linha 1 – Literatura, Produção Cultural E Modos de Vida

LINHA 1: LITERATURA, PRODUÇÃO CULTURAL E MODOS DE VIDA

Estudo de representações literárias e dos modos de produção das minorias e comunidades periféricas, bem como dos modelos historiográficos, teóricos e críticos que fundamentam sua interpretação, problematizando formas, suportes, métodos, formações discursivas e embates epistemológicos.

Projetos relacionados:

Prof. Dr. ARIVALDO DE LIMA ALVES
Por uma nova história escrita, falada e cantada do Candomblé Angola na Bahia

Descrição: No que diz respeito, aos estudos sobre religião afro-brasileira a literatura específica, seja na área da Sociologia, História e, sobretudo, Antropologia, tem uma forte incidência sobre a tradição religiosa denominada Candomblé Ketu. Acredita-se que este candomblé teria sido constituído na Bahia, entre o final do Século XVIII e todo o Século XIX, por africanos iorubas e seus descendentes. A defesa da hegemonia do Ketu como modelo cultural, teológico e de prática religiosa está presente em discursos êmicos – elaborados pelo senso comum, e éticos – produzidos por autores clássicos dos estudos sobre religião afro-brasileira, ao longo de todo o Século XX. Tal perspectiva crítica implicou em erros de interpretação históricos, teológicos e socioantropológicos assim como em preconceitos contra outros candomblés simultâneos alguns já extintos -, em particular, o Candomblé Angola, constituído por africanos bantos e descendentes. O projeto de pesquisa Por uma nova história escrita, falada e cantada do Candomblé Angola na Bahia pretende ampliar a compreensão sobre a história e tradição do Candomblé Angola na Bahia tomando como ponto de partida a releitura e revisão de discursos êmicos e éticos , a releitura de dados históricos coletados em arquivos sobre as práticas religiosas Banto, a memória oral, cantos e narrativas dos Angola, em geral, e em particular dos fundadores e continuadores da tradição religiosa Angolão Paquetan, radicada em Salvador, Bahia. Neste sentido, não se pretende uma inversão de posição de poder, prestígio e dominação em relação aos Ketu, mas a correção de injustiças e erros analíticos, do mesmo modo se pretende a descrição de modos de vida e sobrevivência alternativos em relação ao aparato ideológico de controle e dominação escravocrata e pós-escravocrata através das ferramentas possíveis da História, da Sociologia, da Antropologia, mas também da Teoria da Literatura Comparada contemporânea..

Profa. Dra.: CARLA PATRÍCIA BISPO DE SANTANA
O dedo de moça na música da Bahia: Mapeamento e estudo da produção de compositoras dos anos 1990-2000

Descrição: Este projeto pretende mapear e analisar os modos de criação e produção de compositoras baianas que atuaram e /ou estão em atuação nos últimos 20 anos. Por meio de metodologia de fontes primárias e de trabalho de campo, analisar quais os operadores que elas vêm utilizando para divulgação de suas produções, como são construídas as redes de articulação com o público e a indústria cultural, as relações de parceira e amizade, o processo de criação e quais os principais discursos que aparecem nas letras dessas produções. Espera-se, ao final do projeto, construir o panorama dessa produção e seu registro escrito e audiovisual. A atuação das mulheres como intérpretes tem sido destaque no cenário cultural brasileiro. Inúmeras são as artistas reconhecidas. Porém, quando se trata de composição musical, ainda poucos nomes aparecem em cena. Considerando ainda que a Bahia é reconhecidamente um Estado de onde tem surgido uma produção cultural significativa e uma série de artistas tem conseguido projeção nacional e mesmo internacional. Justifica-se a pertinência desse projeto, quando se tem notícia de que uma parcela ainda permanece na invisibilidade, aquelas compositoras que produziram e produzem as músicas (mas se encontram por trás dos bastidores). As compositoras, não intérpretes, estão nesse não-lugar; mesmo as que são também intérpretes, pois encontram dificuldades para ter suas composições veiculadas. No entanto, é sabido também que muitas composições de mulheres baianas têm sido eleitas por cantores reconhecidos. Obviamente, esse projeto não pretende solucionar essas questões, mas poderá buscar respostas a algumas das indagações que nos rondam.

Profa. Dra.; EDIL SILVA COSTA
Acervo de Memória e Tradições Orais da Bahia: Cartografias

Descrição: O Projeto Acervo de Memória e Tradições Orais da Bahia: cartografias é mais uma etapa do Projeto Acervo de Memória e Tradições Orais da Bahia (AMTRO), vinculado ao Núcleo das Tradições Orais e do Patrimônio Imaterial das Matrizes Afro-indígenas (NUTOPIA) e à Linha de Pesquisa Narrativas, testemunhos e modos de vida, do Programa de Pós-Graduação em Crítica Cultural (Pós-Crítica). O Acervo de Memória e Tradições Orais da Bahia começou a ser constituído 1995 e é composto de textos orais e impressos, fotos, vídeos e obras artísticas, registros da cultura popular dos municípios de Alagoinhas, Inhambupe, Mata de São João, Catu, Pojuca, Teodoro Sampaio, Irará e Camaçari. Esse material vem sendo objeto de estudos monográficos para pesquisadores docentes e discentes, que são somados ao Acervo. Os resultados dessas pesquisas estão sendo apresentados em Seminários e Congressos, gerando publicações de resumos e textos completos, de modo a divulgar para a comunidade acadêmica a produção científica da UNEB. O Projeto Acervo de Memória e Tradições Orais da Bahia: cartografias é a contribuição deste Grupo de Pesquisa para o Projeto Integrado Rede Cartografia de Poéticas Orais, executado por pesquisadores de várias universidades brasileiras filiados ao GT de Literatura Oral e Popular da Associação Nacional de Pesquisa e Pós-Graduação em Letras e Lingüística (ANPOLL). O Projeto Rede Cartografia de Poéticas Orais tem como proposta criar uma rede de pesquisadores das poéticas orais oriundos de diferentes áreas das humanidades, que se configure, num primeiro momento, por um banco de dados on-line. Objetivamos, com isso, reunir e disseminar diferentes textos poéticos orais (narrativas e versos) oriundos de projetos desenvolvidos no Brasil em torno do tema. Num segundo tempo, esta rede promoverá diálogos e debates entre os pesquisadores nela envolvidos em torno de questões inerentes ao fazer da pesquisa, de maneira a criar um pensamento crítico sobre tradução cultural, relações.

Profa. Dra. JAILMA DOS SANTOS PEDREIRA MOREIRA

Literatura em movimentos de mulheres: do movimento de escritoras e teóricas feministas às reescritas de mulheres em movimentos sociais

Descrição: Trata-se de uma investigação acerca dos usos, do sentido e do lugar da literatura nos movimentos de escritoras e teóricas feministas, bem como nas reescritas de mulheres em movimentos sociais. Com um olhar est-ético político cultural, sedimentado pela filosofia contemporânea, crítica cultural feminista e estudos de gênero, buscamos refletir sobre a importância da literatura na formação teórica de feministas importantes do século XX, nos seus usos por escritoras profissionais e nos modos como as mulheres, mesmo as consideradas analfabetas, em movimentos sociais, acessam, produzem e se envolvem com a literatura. Dessa forma, considerando a relação entre narratividades e subjetividade, a perspectiva da escrita de si, esperamos, no processo intersubjetivo de reinvenção de sujeitos femininos, não só visualizar os trânsitos discursivos, as práticas de sentido, bem como ativar e questionar possibilidades de mediação entre a universidade e a comunidade, demais agentes e instituições públicas, privadas, literárias e culturais, ampliando também o campo estético-literário e feminista no combate a uma ciência patriarcal disseminada .

Prof. Dr. JOSÉ CARLOS FÉLIX
Indústria Cultural e Apropriação

Descrição: Dentro da organização interna da indústria cultural, uma de suas maiores características, mimetizando o funcionamento do próprio capitalismo, é a capacidade de adaptar-se a qualquer novo elemento que lhe é apresentado, apropriando-se dele em diversas esferas. Assim, o principal objetivo desta pesquisa é examinar, a partir do escrutínio de obras literárias e filmes, essa apropriação em relação a outros discursos, sejam estes artísticos, históricos ou congêneres. Sua fundamentação terá como base primordial o conceito de indústria cultural formulado por Adorno e Horkheimer (1985) e as elaborações posteriores de Adorno acerca do tema (2001). Espera-se, com essa metodologia eminentemente comparativa, bem como através da fundamentação teórica calcada nas elaborações culturais marxistas da chamada escola de Frankfurt, esclarecer as relações entre produtos culturais e os discursos que os rodeiam, tanto em termos conteudísticos quanto formais, em especial no que concerne às implicações estéticas desses diálogos..

Profa. Dra. MARIA NEUMA MASCARENHAS PAES
Os efeitos da seca no semiárido baiano: um estudo discursivo e atual

Descrição: Neste projeto, tem-se como objetivo investigar, a partir dos pressupostos teóricos e metodológicos da Análise do Discurso, os discursos sobre a seca no semiárido baiano que se materializam em textos verbais, não verbais e/ou multimodais, para entender os processos discursivos de uma produção textual que se caracteriza como ideologicamente marcada. A princípio, analisa-se o semiárido baiano situado no Nordeste brasileiro, que se constitui como um objeto imagético-discursivo, a partir de uma pluralidade de discursos científicos, religiosos, historiográficos e literários. Nas análises, partem-se das condições de produção que permitem as emergências dos discursos; na sequência, procura-se identificar, através das descrições linguísticas, as memórias discursivas que alimentam as formações discursivas na constituição de sentidos.

Prof. Dr. OSMAR MOREIRA DOS SANTOS
Crítica cultural comunitária: o lugar do campo linguístico-literário no sistema científico e nos embates políticos contemporâneos

Descrição: Trata-se de um problema: se o império colonial português foi eficiente em sua política linguístico-literária ao impor seu sistema simbólico ao Brasil e a outros países, do mesmo modo que os Estados Unidos, no último século, tem imposto sua língua e cultura ao resto do mundo, o que tem impedido o Brasil, como potência econômica do mundo, de tomar o linguístico-literário como política estratégica, tanto para fazer uma revolução no sistema escolar, quanto para fazer funcionar uma política cultural internacional? Se no plano internacional, o campo linguístico-literário, com suas descobertas científicas e estético-politicas, tem sido decisivo na desmontagem de um paradigma de ciência fundado no positivismo matemático, e aberto outras perspectivas de historicidades, o presente projeto visa reposicionar o campo como crítica cultural comunitária e do ponto de vista de quem foi despejado de sua língua, cultura, território e identidades. Espera-se, com isso, não só problematizar o campo linguístico-literário no Brasil, ainda perdido entre um colonialismo e outro, mas mobilizar condições para que os trabalhadores da palavra possam se apropriar da matéria prima (línguas que foram silenciadas), das máquinas (mecanismos de rachar a relação entre palavra e coisa, desvelar quem se manifesta, qual o efeito dos discursos) e das fábricas (platôs de reversão do sistema simbólico fundado no fetichismo da mercadoria) e estabelecer outras condições para o protagonismo do Brasil no século XXI.

Prof. Dr. OSVALDO FRANCISCO RIBAS LOBOS FERNANDEZ
A dinâmica sociocultural da violência contra LGBT no Brasil e EUA: um estudo descritivo e comparativo sobre as relações entre vítimas, agressores e cenários fatais.

Descrição: O projeto investiga a violência contra os segmentos GLBT em todo o território nacional, no período de 2000 a 2007, através do monitoramento da mídia (impressa e eletrônica) e do Banco de Dados do Grupo Gay da Bahia, com especial atenção para a dinâmica sócio-cultural desses crimes na cidade de Salvador, na Bahia e no Brasil e EUA. Os métodos empregados são de abordagem qualitativa e quantitativa, possibilitando conhecer os diferentes tipos de crimes, sua distribuição espacial, suas regularidades, assim como o perfil sócio-demográfico das vítimas e dos agressores. Isso nos permitirá construir um mapa da violência contra homossexuais em suas diversas manifestações: letal, verbal, física, chantagem, golpes, discriminações na mídia e/ou institucional – família, escola, religião, locais públicos. A descrição e a análise desta documentação serão realizadas comparando os tipos de crime cometidos contra cada segmento LGBT e as tendências da homofobia no país, propondo um diálogo entre uma dimensão local, nacional e internacional. A partir da análise dos dados locais e o restante do país, busca-se correlacionar a violação dos direitos dos homossexuais, com taxas de homicídios em geral e casos de HIV/AIDS, procurando inferir a vulnerabilidade desses segmentos LGBT no Brasil e EUA..

Prof. Dr. PAULO CÉSAR SOUZA GARCIA
Códigos culturais e insurgências na literatura contemporânea

Descrição: O projeto de pesquisa visa às questões transversais que norteiam a literatura comparada, como os entrelugares de falas e as contextualizações que tocam as vertentes, expressões, práticas e significados pós-coloniais e suas relações de poder. Com o campo de discussões voltado para a crítica cultural, o objetivo é questionar a enunciação de identidades em espaços de leituras que se dispõem a interpretar quem fala a partir do centro e dos meios em que se reproduzem o grau de subalternidades. O problema é reportar o percurso de sujeitos que conhecem a si mesmos e falam por si. Ou, melhor dizer, daquilo que Spivak propõe: como podemos tocar a consciência do povo, com que voz-consciência o subalterno pode falar? Assim, esta pesquisa solicita pensar aspectos sobre as nações periféricas e as não periféricas, reescrevendo traços e marcas, retratos e histórias, tendo como ponto de partida um ideal discursivo situado e códigos culturais à beira das insurgências, levando, em mente, as compreensões de base epistemológicas, sociais, de fórum disciplinar e sentidos essencialistas. Como requisito metodológico, trata de investigar as representações das narrativas contemporâneas; como dialogam com as margens, repensam os eixos com os Centros e os Ex-cêntricos. Analisa as manifestações de linguagens que compreendam os registros que identifiquem as diferenças, como lidar com os diferentes e o diverso, tendo como suporte histórias construídas sobre si, rever as rupturas de fronteiras disciplinares como modo de debater os círculos de hibridizações e cruzamento de fronteiras, partilhas de vínculos incomuns que afetam o convívio social, práticas de si e autoridades de escritas revistas. Visa às mobilizações identitárias e aos deslocamentos que situam a cultura de um lugar, memórias, relatos e subjetividades, posições críticas que problematizam o local e o global, dando destaque para o que se pensa do outro / sobre o outro no espaço do literário e do cultural. O estudo encontra em fase de desenvolvimento e faz parte do projeto uma orientanda do Programa de Pós-Graduação em Crítica Cultural do Departamento de Educação UNEB DEDC II Alagoinhas/BA. Atividades constantes do estudo: comunicação em eventos acadêmicos, publicações de artigos em anais de congressos, em revistas qualificadas e debates com pesquisadores Palavras-chave: Crítica cultural, Ex-cêntricos, literatura contemporânea, subjetividades .

Enunciações de gênero e identidades sexuais na literatura

Descrição: Neste estudo, proponho analisar a literatura e os constructos sobre o homoerotismo, as identidades sexuais e de gênero. Trata-se de dar enfoque para as questões subjetivas, como o desejo, o afeto, o amor entre indivíduos do mesmo gênero. Como a literatura fala a respeito dos sujeitos de desejos homoeróticos; de que lugares falam e se enunciam; que questões são relançadas sobre as masculinidades hegemônicas, a heteronormatividade, o heterossexismo, a heterossexualidade compulsória; como a crítica literária convida a pensar essas considerações? Adoto essas referências que visam aos textos literários de autorias baianas, brasileiras e ocidentais com o objetivo de refletir os impactos das identidades sexuais e de gênero na ordem do discurso ficcional, de pensar os impasses sobre a diferença ao refletir a diversidade sexual dos personagens. Trata de interpretar as textualidades do literário a despeito de como os sujeitos enunciam e constroem a subjetividade homoerótica, analisando pontos axiais sobre a representação do homoerotismo no espaço literário, a enunciação da sexualidade como forma de poder, o diálogo com os discursos e críticas da cultura. Considero as abordagens críticas do pós-estruturalismo, os suportes teóricos da desconstrução e a crítica cultural diante de proposições a respeito das expressões identitárias de gênero e da teoria queer. Sobre os estudos queer, que tem a finalidade de entender bases vitais da cultura heteronormativa e heterossexual, cabe debater os sentidos girados em torno da diferença, identidades do sujeito e suas diversidades de gênero. Os textos literários de autoria baiana, por exemplo, têm apostado em tramas narrativas que compreendem o espaço do diverso, sendo este marcado pelas configurações de estilos diferenciáveis do desejo e do amor, como os que se notam, também, em autorias da literatura brasileira e ocidental. O estudo encontra em fase de desenvolvimento e fazem parte alunos da Graduação em Letras com Projeto de Iniciação Científica / bolsa PIBIC/CNPQ, que vem atuando com as suas respectivas pesquisas; dois mestrandos do Programa de Pós-Graduação em Crítica Cultural do Departamento de Educação UNEB DEDC II Alagoinhas/BA. Atividades constantes do estudo: comunicação em eventos acadêmicos, publicações de artigos em anais de congressos, em revistas qualificadas e debates com pesquisadores que estudam o tema no Grupo de Trabalho GT Homocultura e Linguagens da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Letras e Linguística (ANPOLL) que, atualmente, coordeno. O Projeto tem financiamento do Programa Pró-forte Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa da UNEB. Palavras-chave: Crítica literária, identidades, homoerotismo, literatura. .

Prof. Dr. ROBERTO HENRIQUE SEIDEL
Publicações na Bahia: mapeamento e diagnóstico das editoras baianas

Descrição: A pesquisa Publicações na Bahia: mapeamento e diagnóstico das editoras baianas, ligada ao Programa de Pós-Graduação em Estudos Literários (ex-Literatura e Diversidade Cultural), da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), tem como objetivo principal realizar um mapeamento detalhado das editoras atualmente existentes na Bahia em suas diversas regiões, englobando tanto as que funcionam na formalidade com um apelo comercial, quanto as que operam de forma mais alternativa. Trata-se de um levantamento de informações e dados da economia criativa, no sentido de investigar experiências do setor criativo de livro, envolvendo uma articulação dos setores de Livro e Publicações de Mídias Impressas. Dessa forma, a pesquisa ancora no primeiro dos três eixos colocados pela Secretaria da Economia Criativa como sendo fundamentais para o desenvolvimento e/ou incremento da economia criativa no Brasil, quais sejam: a) mapeamento da informação das cadeias produtivas, com diagnóstico de territórios criativos, de vocações regionais, para formulação de políticas públicas; b) capacitação técnica para gestão de negócios criativos, com formação de gestores, do artesanato à cultura digital; c) promoção e difusão desses empreendimentos em feiras, rodadas de negócios, etc. Considerando aspectos do desenvolvimento como a diversidade, a sustentabilidade, a inovação e a inclusão social, a pesquisa procura por experiências bem sucedidas com a publicação de livros, assim como o desempenho de coletivos, associações e cooperativas culturais que atuam na área (p. ex. na impressão de cordéis, de livros artesanais) de forma alternativa, podendo ser exemplos de sustentabilidade econômica e social. Os resultados do mapeamento serão disponibilizados em site específico. Projeto contemplado pela Chamada 80/2013 (Economia criativa) com auxílio e com duas Bolsas de Fomento Tecnológico e Extensão Inovadora, sendo uma Iniciação Tecnológica Industrial (ITI A) para graduanda e outra Extensão no País (EXP C). .

A categoria do insólito em representações sobre o sertão

Descrição: Obs.: Projeto ligado ao GT da ANPOLL Vertentes do insólito ficcional. Resumo: O assim chamado sertão brasileiro, desde a sua emergência enquanto imagem/conceito descritivo de uma região/geografia/local espacial na obra Os sertões , de Euclides da Cunha, tem gerado uma vasta produção artístico-cultural. Mitos, lendas, contos populares; histórias de cangaceiros e de assassinos sanguinários; histórias de assombrações, de horrores e de misticismos de toda ordem povoam o imaginário do ser sertanejo e proporcionam subsídios para a criação e recriação de obras simbólicas. A hipótese de trabalho que orienta o presente projeto é que, o próprio sertão sendo plural considerado, portanto, de uma forma não-essecialista , pode ser encarado na atualidade como espaço de disputa sócio-simbólico, ensejado por um imaginário social resultado de processos híbridos e transculturadores de várias matrizes culturais (tais como o armorial-medieval, o indígena, o afro-americano), bem como eminentemente caracterizado por temporalidades sobrepostas e imbricadas de forma complexa. As temporalidades sobrepostas geram conflitos entre o velho e o novo, entre o antigo e o moderno, entre práticas sociais obscurantistas e práticas sociais ditas iluministas; tal conflito é de ordem simbólica e se plasma nas narrativas (visto que o conflito modernizador é um conflito de linguagem), sendo ainda uma das marcas do insólito encontrado nas narrativas fantásticas tradicionais, elas mesmas parte de uma tradição literariamente marginal. O próprio real então se dará neste nó do tipo boromaico lacaniano, em que o imaginário, o simbólico e o real se encontram , aparecendo nas representações ficcionais com a característica da duplicidade e da ambiguidade. Serão analisadas obras em que o elemento do insólito surja como relevante para o contexto de estudos, seja na literatura (romance, conto, cordel), na arte sequencial (nas histórias em quadrinhos) e no cinema. Espera-se assim empreender um mapeament.

Prof. Dr. RICARDO DE OLIVEIRA FREITAS
Midiativismo e comunicação comunitária: mídia autóctone e inclusiva em periferias urbanas e [sub]urbanas

Descrição: Investiga a apropriação das tecnologias digitais por classes populares, a fim de analisar os produtos advindos do uso das NTIC (tanto em termos de produção como de distribuição e consumo) e as suas contribuições para a elaboração de novas experiências estéticas no campo do audiovisual, através da veiculação de imagens estáticas e em movimento (fotografias e vídeos) em redes sociais ou sites de armazanemento e compartilhamento de vídeos na Internet..

Prof. Dr. WASHINGTON LUIS LIMA DRUMMOND
Imagem, discurso e cidade

Descrição: O projeto se propõe analisar através da teoria contemporânea (Benjamin, Foucault, Flusser, Baudrillard) as imagens (fotográficas e fílmicas) como forma de apreensão historiográfica da vida urbana contemporânea e seus regimes de fantasmagorias. Tendo como foco inicial as imagens do fotógrafo francês Pierre Verger, as quais ganharam um inusitado e incisivo destaque através de sua veiculação espetacular, empreende um confronto com o discurso midiático (jornais,televisão) e literário (romance, memorialismo) para a compreensão da cidade do Salvador e da experiencia urbana contempoânea. Ao mesmo tempo, serão estudados cineastas que enfrentaram a produção de imagens midiáticas durante o período estudado ( Hans Jugen Siberberg, Glauber Rocha, Jose Mojica Marins) engendrando heterogeneidades históricas e visuais. .

Edital para seleção de aluno especial 2017.1

Edital sobre Inscrição no Processo Seletivo/2017.1

Nota Informativa

Informamos que devido a concentração de toda equipe no Coleta CAPES, de 16 à 26 de Janeiro não haverá expediente externo.

Seleção – Aluno Regular 2017

Informativos Seleção – Aluno Regular 2017

Seleção aluno regular 2017 – Inscrições homologadas

O Programa de Pós-Graduação em Crítica Cultural torna público o informativo nº2 referente a seleção para aluno regular 2017.