Turma 2014

Título: MEMÓRIAS E OUTRAS HISTÓRIAS: REFLEXÕES SOBRE A ESCRITA MEMORIALÍSTICA DE ZÉLIA GATTAI
Alagoinhas-Bahia

Mestrando: ARLINDA SANTANA SANTOS

Orientador: Prof. Dr. Roberto Henrique Seidel

RESUMO:

A pesquisa intitulada Memórias e outras histórias: reflexões sobre a escrita memorialística de Zélia Gattai, vinculado ao Programa de Pós-Graduação em Crítica Cultural/ DEDC II Alagoinhas, Linha 1 – Margens da Literatura realizou uma reflexão acerca da escrita de autoria feminina de memórias tomando como ponto de partida as obras Anarquistas Graças a Deus (2009[1979]), Um chapéu para viagem (1993[1982]), Senhora Dona do Baile (1984[1984]), Jardim de Inverno (1989[1988]), Cittá di Roma (2000) e A casa do Rio Vermelho (1999) da escritora Zélia Gattai. Pretendeu-se estudar a obra de Zélia Gattai percebendo-a como lugar de expressão, manutenção e resistência da subjetividade feminina; compreender a escrita memorialística como forma de (re)construção e (re)invenção de si bem como, vislumbrar a possibilidade de perceber a escrita de memórias como testemunho. A metodologia adotada foi de cunho bibliográfico e serviu para a construção do referencial teórico, embasado nos estudos de gênero e na crítica cultural. Neste sentido, tal pesquisa se fez pertinente pela oportunidade de perceber a escrita memorialística de autoria feminina como um lugar de empoderamento do sujeito que a escreve. Das análises e estudos realizados, observamos que a escrita memorialística de Zélia Gattai permitiu à autora não somente o empoderar-se, como também, (re)inventar-se à medida que rememorava a si mesma e aqueles com quem conviveu, configurando-se como forma de forma de resistência às forças opressoras patriarcalistas que tendem subjugar o sujeito feminino.
Palavras-Chave: mulher – escrita memorialística – Zélia Gattai

Veja texto completo 

Título: LITERATURA E CIDADE: REPRESENTAÇÕES, FICÇÃO E DEFORMAÇÕES A PARTIR DA ESCRITA DE CARLOS RIBEIRO

Mestrando: AROLDA MARIA DA SILVA FIGUERÊDO

Orientador: Profº. Orientador – Washington Luis Lima Drummond

RESUMO:

A pesquisa intitulada Literatura e Cidade: representações, ficção e deformações a partir da escrita de Carlos Ribeiro, vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Crítica Cultural/ DEDC II Alagoinhas, Linha 3 – Narrativas, testemunhos e modos de vida, realiza uma reflexão acerca da temática literatura e cidade na ficção contemporânea brasileira e baiana, a partir das obras Lunaris (2007) e Contos de Sexta-Feira (2010), do escritor Carlos Ribeiro. Este estudo pretendeu compreender as relações do homem na contemporaneidade dentro do espaço urbano, e suas formas de representações na ficção. Ao tempo em que se toma a narrativa urbana como base de pesquisa para se compreender o projeto de Brasil e suas rasuras na contemporaneidade. Tomou-se por amostragem representativa algumas produções do romance urbano brasileiro e baiano, e alguns fragmentos das escritas norte americana e europeia. Traz-se uma seleção de cenas dos textos escolhidos que permitam a compreensão do caos urbano e sua força demolidora das subjetividades do humano e das instâncias que se querem reguladores do urbano. Diante do mundo citadino racionalizado por parte de suas forças constituintes (urbanismo, segurança, governança, etc.) e homogeneizantes. Foca-se ainda a pesquisa em investigar os comportamentos heterogêneos e demolidores do homem e de sua cultura sob a égide da polis contemporânea. Bem como as formas de ficcionalização envolvidas nesse processo, as destinadas à manutenção da tradição e aquelas que primam pela deformação. Por entender que nas escritas de Ribeiro, do romance e dos contos, se criou um entre lugar ficcional para pensar essas relações pelo viés da mediação, enfatizam-se os estudos sobre literatura e cidade e suas representações dentro da produção cultural. Na observância do estreito laço entre a literatura contemporânea e a vida na cidade. Agencia-se no processo da pesquisa os postulados de Araújo (2008), Benjamin (2006), Cândido (2010), Derrida (2014), Gil (1999), Gomes (1997), Pellegrini (2008), Reis (1992), Santiago (2002), Souza (2012) dentre outros.
Palavras-chave: Literatura. Cidade. Representações Ficção. Brasil.

Veja texto completo

Título: POÉTICAS ORAIS E IDENTIDADE ETNICORRACIAL NA COMUNIDADE QUILOMBOLA DE VOLTA GRANDE-BA

Mestrando: CARLENE VIEIRA DOURADO

Orientador: Prof. Dr. Osmar Moreira dos Santos

RESUMO:

Nesta pesquisa, analisam-se as marcas culturais e a identidade etnicorracial expressas nas poéticas orais e nos modos de vida da comunidade quilombola de Volta Grande, município de Barro Alto, sertão baiano. A coleta de dados ocorreu por meio de registros (escrito e audiovisual) das narrativas orais, observação participante e prática da história oral. Foi analisado também: como se expressam as manifestações culturais, os costumes relacionados às práticas religiosas e artísticas, os modos de vida da comunidade; e como o universo sobrenatural dos monstros e dos seres encantados que povoam o lugarejo constituem a identidade do grupo. Assim, a reconstituição de suas histórias por meio da oralidade e da memória, a que este trabalho se propôs, compõe o patrimônio imaterial da comunidade e se configura como elemento constitutivo da identidade quilombosertaneja.

PALAVRAS-CHAVE: Poéticas Orais; Identidade Quilombola; Marcas Culturais; Oralidade; Memória.

Veja texto completo

Título: O LOCAL DO CORDEL NA ESCOLA

Mestrando: CLAUDIA ZILMAR DA SILVA CONCEIÇÃO

Orientador: Prof. Dr. Carlos Magno Santos Gomes

RESUMO:

Esta dissertação traz uma reflexão sobre o ensino de literatura nas aulas de língua portuguesa a partir da leitura e interpretação de textos da literatura de cordel. Com isso, pretendemos propor um método que valorize as especificidades desse gênero literário, levando em conta a formação do leitor. Para tanto, propomos o respeito à cultura do educando com o intuito de ampliar o horizonte deste como leitor crítico. Nesse sentido, sugerimos a introdução da cultura popular como parte dos conteúdos significativos que despertam o interesse e a motivação dos leitores em conhecer a diversidade cultural dos textos artísticos, produzidos em seu contexto. Metodologicamente, exploramos conceitos de cultura popular e literatura de cordel, propostos por Abreu, Cascudo, Kupper e Zumthor. Quanto ao ensino de literatura, exploramos os métodos propostos por Cereja, Zilberman, Martins, Gomes e Rouxel. Para tanto, sugerimos e discutimos sobre cultura popular, representada na literatura de cordel, por entender que o cordel pode ser significativo para o educando e ser capaz de formar o leitor por trazer uma linguagem mais simples, sem elitismo e por ser uma poesia cantada, que pode suscitar uma reação estética no educando, Assim, no primeiro capítulo desta dissertação, trazemos a problemática da capacidade leitora dos alunos do ensino básico e a discussão de considerar a cultura do educando como uma das saídas para a formação do leitor. No segundo capítulo, abordaremos o ensino de literatura a partir da intervenção com o cordelista Antônio de Oliveira Barreto, em que utilizaremos, como corpus, os seus próprios cordéis, que, entre outros temas, abordam também a temática etnicorracial. No terceiro capítulo, com base nessa experiência, propomos quatro oficinas como prática educacional de intervenção, nas quais elucidaremos a literatura de cordel como um instrumento pedagógico útil para suscitar a reação estética, a voz, a performance e o modelo de leitura cultural proposto por Gomes (2012), resultando na formação leitora do educando.

Palavras-chave: Leitura. Literatura de cordel. Performance.

Veja texto completo

Título: ENTRE ESCRITAS E DERIVAS, O QUE PODE A ORGIA? AS FAÇANHAS SEXUAIS NA OBRA DE TÚLIO CARELLA

Mestrando:DANIEL DE CAMPOS OLIVEIRA

Orientador: Prof. Dr. Paulo Cesar Souza Garcia

RESUMO:

O trabalho tem por objetivo tecer interpretações e leituras a partir da obra literária Orgia, do autor argentino Tulio Carella, com foco na questão autobiográfica e nas discussões acerca gênero e sexualidade. Orgia é um livro publicado primeiramente em 1968, apenas no Brasil com tradução de Hermilo Borba Filho. A obra trata dos diários de Lúcio Ginarte, dramaturgo argentino que ao aceitar o convite para passar um ano no Brasil ensinando no curso de teatro da Universidade Federal do Recife, se entrega à liberdade esperada no país e se deleita sobre a orgia das ruas com homens negros. O trabalho se divide em apresentar a obra, até então, pouco conhecida pela grande crítica devido a suas poucas publicações e seu conteúdo erótico e a discutir como se dá a construção deste homem viril no universo do sexo entre homens. A partir daí, apoiado, principalmente no estudo de Néstor Perlongher (1987), um estudo sobre a condição dos michês nas ruas, a ideia de virilidade e a relação com a identidade homossexual é feito aliado a processos autobiográficos e relatos que dialogam com a obra e a teoria.
PALAVRAS-CHAVE: Orgia, Autobiografia, Virilidade, identidade homossexual, Tulio Carella.

Veja texto completo

Título: UMA ESCRITA DE SI COMO FALA DO OUTRO: UM ESTUDO DO DIÁRIO DE CAROLINA MARIA DE JESUS

Mestrando: ERIKA NUNES DE JESUS

Orientador: Professora Doutora Maria de Fátima Berenice da Cruz

RESUMO:

Esta pesquisa tem o por objetivo analisar a escrita de si representada na obra QUARTO DE DESPEJO: DIÁRIO DE UMA FAVELADA, da escritora Carolina Maria de Jesus. O texto literário, ao representar uma voz individual/coletiva, uma identidade étnica e cultural e um sujeito de produção literária imbuído de autonomia e humanidade, também possibilita a reflexão e discussão sobre as relações etnicorraciais, em consonância com as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação das Relações Étnico-Raciais para o Ensino de História e Cultura Afro-Brasileira e Africana. Para isso, utilizamos o método autobiográfico, enfocando a escrita de si da autora e os processos de letramento, engendrados pela mesma, ao fazer uso da leitura e da escrita na construção de seu diário. No contexto cultural contemporâneo discutir dentro do espaço escolar público o “lugar” do pobre, do negro, da mulher e das minorias através do texto literário representa um caminho para a descolonização do discurso hegemônico no âmbito educacional. É uma forma plural de conhecer, reconhecer e produzir conhecimento descolonial e a construção de possíveis mediações dentro do processo de ensino da Literatura Brasileira e de possíveis práticas de letramento.
PALAVRAS-CHAVE: Descolonização. Autobiografia. Linguagem. Escrita. Ensino.

Veja texto completo:

Título: TEKOÁ: A LITERATURA INDÍGENA E SUAS LINHAS DE FUGA

Mestrando: FRANCIS MARY SOARES CORREIA DA ROSA

Orientador: Prof. Dr. Osmar Moreira da Silva

RESUMO:

Trata-se de uma investigação dos mecanismos de representação política e identitária que ocorrem por meio da prática literária em comunidades indígenas brasileiras, precisamente nas obras de Olívio Jekupé, assim como o estudo dos deslocamentos políticos que esta literatura de autoria indígena provoca no imaginário nacional e em uma perspectiva literária alicerçada no lócus enunciativo ocidental. Espera-se apontar as continuidades e descontinuidades observáveis nos processos de constituição das identidades étnicas, assim como na configuração de etnogêneses indígenas. Referenciando-se no discurso crítico a uma epistemologia eurocêntrica, busca-se apresentar os processos históricos que repercutiram no desenvolvimento da tradição escrita nestas culturas de tradição oral e como a literatura indígena de Olívio Jekupé pode ser experenciada como uma menoridade literária, promovendo espaços de enfrentamento aos discursos consagrados e unilaterais sobre a alteridade ameríndia. Espera-se contribuir para um conjunto de reflexões críticas sobre o uso político e afirmativo com que estas literaturas se apresentam, assim como a configuração de uma identidade literária marcada pelo transcultural e pela luta do reconhecimento de direitos, valorização das culturas, reescrita da história e cosmovisões indígenas.
PALAVRAS-CHAVE: crítica cultural; literatura; indígenas; Deleuze; menoridade literária.

Veja texto completo:

Título: AS MULHERES ÁRBITRAS DE FUTEBOL: UM ESTUDO SOBRE TECNOLOGIAS DE GÊNERO E PERSPECTIVAS DA DIVISÃO SEXUAL DO TRABALHO

Mestrando: INEILDES CALHEIRO DOS SANTOS

Orientador: Dr.ª Suely Aldir Messeder

RESUMO:

Essa dissertação discute a forma como as mulheres árbitras vivenciam a divisão sexual no trabalho de arbitragem em futebol profissional, verificando sua inserção e permanência no campo, sem perder de vista a questão interseccional de raça. Segundo estudos, nota-se um crescimento da presença da mulher no meio futebolístico nas últimas duas décadas, quer seja como jogadora, treinadora, árbitra ou bandeirinha. Especificamente na arbitragem, embora exista uma busca crescente, poucas conseguem avanço e estabilidade na função. Com isso, delimitamos como problema, saber: de que forma as mulheres árbitras de futebol vivenciam a divisão sexual no trabalho de arbitragem profissional? A partir desse contexto, elaboram-se duas grandes questões para o desenrolar da pesquisa: 1) Quais são os critérios de avaliação do perfil físico para alcançar as características e qualidades ideais para se tornar um juiz de futebol? 2) E como estas mulheres conseguiram borrar as fronteiras das relações de gênero/sexo e se tornaram árbitras no futebol? Tendo como objetivo analisar os documentos de arbitragem, identificando nos critérios a divisão sexual neste tipo de ocupação, bem como compreender as histórias de vida das árbitras, escolhemos como metodologia a pesquisa qualitativa descritiva, investigando documentos oficiais de arbitragem e as histórias de vida das árbitras. Nos resultados, constatam-se estratégias androcêntricas no campo, com as barreiras excludentes e limitantes para as mulheres na arbitragem, afetando a sua inclusão e permanência, sendo a maior delas o teste físico sem consideração às diferenças sexuais, utilizados como mecanismo de defesa para o controle sexual neste setor, resultando em prejuízo para as mulheres, embora as barreiras estejam colocadas para além do desempenho físico relacionadas com a política de gênero. Além disso, foi constatada hierarquia regional, resultando na submissão no interior da categoria mulher. Desse modo, a arbitragem, como mercado de trabalho, segue a lógica geral: os homens comandam o campo. O papel de submissão e o rendimento menor estão reservados para as mulheres.
Palavras-chave: Arbitragem feminina. Futebol. Divisão sexual do trabalho. Tecnologias de gênero.

Veja texto completo:

Título: A CONSTRUÇÃO DAS MASCULINIDADES EM JORGE AMADO: UM ESTUDO DO ATO PERFORMATIVO DE GÊNERO EM CACAU

Mestrando: IRÊNIO SANTOS NASCIMENTO JUNIOR

Orientador: Prof.a Dr.a Suely Aldir Messeder

RESUMO:

Esta dissertação tem como objetivo compreender a construção das masculinidades no romance Cacau de Jorge Amado. Emprego como recurso teórico metodológico o conceito de ato performativo masculino desenvolvido por Messeder (2011) através da sua articulação entre Bourdieu (1999), Connell (1996) e Butler (2001). A metodologia escolhida para a pesquisa está assentada na teoria pós-estruturalista que permite uma pluralidade de sentidos mediante os referenciais teóricos escolhidos. Com o objetivo de apresentar os hábitos e comportamentos dos personagens na obra Cacau recorto algumas cenas que considerei importantes para essa análise. Busco selecionar cenas nas quais o personagem principal se apresenta como narrador, atento a ênfase que o protagonista revela em suas palavras. Da mesma forma, avalio as cenas em que o próprio protagonista se apresenta em primeiro plano. A análise através das dimensões de poder, trabalho e desejo reconhecidas por Connell (2013) nos possibilitou salientar a complexidade das masculinidades nos contextos que estão inseridas. Ao longo do estudo das cenas aplico quatro definições sobre masculinidades: hegemônica, marginal, cúmplice e subordinada. Importante ressaltar que a metodologia empregada através de recortes das cenas nos proporcionou um fazer etnográfico subtraindo das linhas que compõem os discursos a sua intencionalidade política. Observo que existem poucos estudos de gênero nas obras de Jorge Amado o que torna essa dissertação pertinente já que o objetivo é apresentar uma análise de masculinidades na obra desse autor como algo inovador.
Palavras-chave: masculinidades, corpo, gênero, ato performativo de gênero.

Veja texto completo:

Título: IVÂNIA NUNES MACHADO ROCHA

Mestrando: PÁGINAS DO SERTÃO: LEITURA E IMAGINAÇÃO NO UNIVERSO DE SERTANEJAS

Orientador: 

Profa. Dra. Jailma dos Santos Pedreira Moreira.

RESUMO:

Este trabalho versa sobre leituras de donas de casa de Irecê — interior da Bahia. Pesquisa finalizada em que analisamos o que donas de casa leem e como realizam essas leituras, considerando outros possíveis modos de ler. A base metodológica escolhida para alcançar os objetivos foi a pesquisa de campo e a revisão da literatura, com abordagem qualitativa. Para tanto, aplicamos questionários e realizamos entrevista semiestruturada com 17 colaboradoras. Observando a realidade gráfica, na qual há a predominância de textos escritos e imagéticos, nosso objetivo foi mostrar qual o lugar ocupado pelas sertanejas em relação a esse universo letrado, bem como as contribuições deste para essas mulheres e como as mesmas acessam, apropriam-se e rasuram tais textos, considerando uma subjetividade instituída para mulheres. Trazemos essas leitoras para o centro das discussões envolvendo cultura; bem como os sertões e sertanejos na literatura e cultura, dando abertura para que estes apareçam mais (e não apenas na sua pobreza, simplicidade, singeleza), através dos seus modos de ser, de viver e de produzir, ou seja, mostramos uma outra imagem do sertão e de sertanejas, para além da já configurada em um imaginário. Para tanto, seguimos os caminhos metodológicos a que nos propusemos e direcionamos a investigação. Apresentamos as colaboradoras da investigação e a sua localidade — trazemos breve informação sobre a região de Irecê, que foi o lócus da investigação, focalizando mais no centro regional — cidade de Irecê, de onde são a maioria das mulheres em pauta; em seguida, traçamos o perfil das donas de casa leitoras envolvidas nesta pesquisa; continuamos a discussão em torno dos motivos históricos, sociais e políticos envolvidos na manutenção da mulher como dona de casa e, por fim, fazemos uma pausa para enfatizar a nossa visão de leitura e literatura. Buscamos também problematizar as relações entre leitura, literatura, mulheres e sertões, levando em consideração o fato de que as colaboradoras são sertanejas e estão vinculadas tanto geográfica quanto afetivamente ao sertão, apreciando leituras voltadas a essa temática; destacando a escritora Rachel de Queiroz como uma autora que deu visibilidade aos personagens femininos, inovando na abordagem destinada às mulheres sertanejas; trazemos mais leituras realizadas pelas sertanejas, explorando suas releituras, ressignificações e rasuras desses textos. Ainda, focalizamos as trocas efetuadas entre mulheres e leituras, com ênfase na possível reconstrução de subjetividades dessas sertanejas de Irecê através de suas leituras. Relacionamos leitura e imaginação, observando o sonho como uma potência de mudança da realidade; apontamos também mudanças ocorridas com as colaboradoras, que podem ter sofrido influência de suas leituras. Reiteramos a importância da leitura na vida dessas mulheres, ressaltando o poder transformador da leitura, bem como a potência subjetiva destas mulheres, que não se deixam ficar restritas a um universo de impossibilidades; pelo contrário, criam táticas de leitura, de trocas de livros, alterando uma história muitas vezes já traçada — cristalizada para elas e para o sertão.

Palavras-chave: Leituras. Literaturas. Cultura. Gênero. Subjetividades.

Veja texto completo:

Título: ENTRE AS LEIS E AS LETRAS: ESCREVIVÊNCIAS IDENTITÁRIAS NEGRAS DE LUIZ GAMA

Mestrando: Jair Cardoso dos Santos

Orientador: Profa. Dra Maria Anória de Jesus Oliveira

RESUMO: 

A pesquisa multidisciplinar em tela estuda parte da produção poética e jurídica de Luiz Gama, através da qual busca-se identificar se prevalece a ressignificação identitária negra, considerando sua acirrada luta em prol da igualdade racial de direitos em um complexo contexto escravagista do Brasil oitocentista. Esse filho da diáspora africana, ao pensar e construir a sua luta contra os grupos hegemônicos vigentes, ganhou notoriedade e projeção social e, mesmo após tanto embate em uma terra injusta e excludente, fez o som da sua voz ecoar até os dias atuais, sendo a palavra a principal arma de combate ante as amarras racistas. Reconhecido por sua trajetória de vida e pela produção escrita, há diversas faces a serem vislumbradas. Destacamos, entre estas, a de um pensador de vanguarda no Brasil, fato que evidencia a sua importância histórico-social, dentro do contexto de implementação da história e cultura afro-brasileira na Educação Básica. No trilhar desses estudos, realizamos a pesquisa qualitativa nos seus aspectos documentais e bibliográficos; no que tange à fundamentação crítica e teórica, a presente pesquisa respalda-se nos campos da critica cultural, literatura, história e direito. Esperamos, por fim, contribuir para ampliar mais suportes teóricos e críticos na área em questão, primando-se pela valorização e ressignificação da história e cultura afro-brasileira e africana no ensino brasileiro.
Palavras-chave: Luiz Gama, ressignificação, identidade negra, literatura negra, estado de exceção.

Veja texto completo

Título: ORALIDADE E ESCRITA NA DIÁSPORA RELIGIOSA AFRO-BRASILEIRA TRAVESSIAS, RUPTURAS E CONFLUÊNCIAS

Mestrando: LEANDRO ALVES DE ARAÚJO

Orientador: Prof. Dr. Arivaldo de Lima Alves

RESUMO:

Esta pesquisa é resultado do trabalho realizado no NUTOPIA – Núcleo das Tradições Orais e Patrimônio Imaterial – do Programa de Pós-Graduação em Crítica Cultural da Universidade do Estado da Bahia (UNEB / Campus II), sob a coordenação do Professor Doutor Arivaldo de Lima Alves. A pesquisa tem o objetivo principal de mostrar a possibilidade de se pesquisar, hoje, as tradições orais africanas e afro-brasileiras com o imbricamento existente entre a cultura oral e a cultura escrita no universo do candomblé. O estudo demonstra como se estabeleceram e se estabilizaram, no Brasil, a cultura e a religiosidade africanas, desde a ocorrência da „Diáspora Africana‟ ou „Diáspora Negra‟ (fenômeno sociocultural, político e histórico ocorrido no continente africano, incidente sobre as suas principais nações, que implicou processo de forçada e massiva emigração abastecedora de um mercado escravagista que perdurou até ao final do século XIX), com foco, sobretudo, nos candomblés da Bahia que, desde os seus primórdios, configuraram comunidades nas quais o “verbo”, a “palavra falada”, fez – e, de certa forma, atualmente ainda faz – a comunhão dos valores e a manutenção de um acervo cultural que, mesclando aspectos míticos e sociais, busca o equilíbrio político e identitário que asseguram e legitimam seus povos. Visando contribuir para uma compreensão mais apropriada dessa herança negro-africana internalizada na sociedade brasileira, no desenvolvimento do trabalho se estudou, desde a origem em África, essa transferência de conhecimento pela oralidade, verificando como as tecnologias de comunicação, ao longo do tempo e do espaço – não só com o advento da “palavra escrita” em cadernetas nas comunidades, por exemplo, mas também com o despertar do interesse da comunidade acadêmica sobre temas africanistas, principalmente os candomblés – potencializaram a oralidade, retroalimentando-a, aprimorando a transferência de conhecimento e protegendo, em alguma medida, a memória destas tradições. No estudo dessa tensão “oralidade x escrita”, a pesquisa abrangeu extensa revisão bibliográfica, além de entrevistas coletadas com alguns protagonistas deste universo religioso-cultural. A conclusão do trabalho, despretensiosamente, tende a provocar um aprofundamento das reflexões que emergem dessas narrativas, levando, talvez, a uma crítica da cultura, das práticas religiosas de orientação africana e dos estudos sobre religião no Brasil.
Palavras-Chave: Candomblé. Oralidade. Escrita. Crítica Cultural.

Veja texto completo

Título: O ATO DE ESCREVER E DE SE REESCREVER: EM FOCO RACHEL DE QUEIROZ

Mestrando: Luane Tamires dos Santos Martins

Orientador: Profa. Dra. Jailma dos Santos Pedreira Moreira

RESUMO: 

A pesquisa em questão, de natureza qualitativa e respaldada em estudos de gêneros e estudos feministas e culturais, buscou investigar como se constitui o perfil da escritora literária Rachel de Queiroz, considerando sua trajetória literária e de vida. A metodologia empregada consistiu, primeiramente, na revisão e leitura de estudos teóricos condizentes com a temática abordada na pesquisa, estudo de uma fortuna crítica sobre Rachel, além do levantamento em diversos sites da biografia, entrevistas, dissertações e teses relacionados à escritora Rachel de Queiroz. Doravante, partimos para seleção e leitura do livro de memórias “Tantos Anos”, escrito em co-autoria com a irmã Maria Luíza e do livro literário 100 crônicas escolhidas, destacando quatro crônicas a serem discutidas ao longo da dissertação. Doravante, prosseguimos com a releitura dos textos selecionados, sistematização, análise e reflexão dos dados colhidos. Com este percurso, dividimos nosso trabalho em três capítulos, sendo que, até o presente momento, apenas dois destes serão apresentados. Desta forma, podemos concluir, que a escritora em questão é considerada pela Crítica Literária como detentora de uma linguagem enxuta e precisa, dotada dos atributos formais do discurso textual, porém, podemos observar que a escrita de Rachel está além da estética textual, apresentando-se de forma questionadora e incisiva, e assim possibilitou a escritora romper com os padrões falocêntricos preestabelecidos de sua época e adentrar no espaço Literário. Destarte, esperamos que as discussões e reflexões aqui apresentadas possam contribuir para promover avaliações criticas sobre a escrita de autoria feminina, bem como abrir possibilidades para novas pesquisas, consoante a escritora Rachel de Queiroz.
Palavras- chave: Literatura de autoria feminina. Rachel de Queiroz. Ato de escrever.

Veja texto completo:

Título: Representações de violência contra mulheres negras em Insubmissas lágrimas de mulheres, de Conceição Evaristo.

Mestrando: MANOELA DOS SANTOS BARBOSA

Orientador: Prof. Dr. Paulo César Garcia

RESUMO:

Este estudo analisa as particularidades do projeto estético-literário da escritora Conceição Evaristo, que questiona as diferentes formas de violências a que estão submetidas às mulheres negras. Para isto, exploraremos as representações étnico-raciais e de gênero na antologia Insubmissas lágrimas de mulheres (2011), onde estão reunidos treze contos todos protagonizados por mulheres negras, que, de alguma maneira foram vitimadas por violências – físicas, sexuais e psicológicas – a ainda, as peculiaridades da interseção entre gênero e raça. Desse modo, buscamos analisar as marcas das diferentes formas de violência a que mulheres negras são submetidas no contexto social brasileiro a partir das intersecções de gênero, classe e etnia. Com este discurso, investigamos como a abordagem do texto literário da autora compromete análises incisivas sobre a violência. Objetivamos para delinear os caminhos deste estudo, averiguar de que maneira a escrita de Conceição Evaristo constitui um modo de fala com o qual permite ver e interpretar as faces subalternizadas das identidades de gênero e raciais. Observar de que maneira a produção literária pode contribuir para denunciar violência contra as mulheres. Nas narrativas, o que se vê são marcas de personagens que se mostram sem pudores, personagens mulheres e negras que contextualizam o real, focalizando através da sua escrita, vozes femininas negras ambientadas no século XXI.

Palavras-chave: Literatura, Violência, Mulheres Negras, Crítica Cultural, Conceição Evaristo.

Veja texto completo:

Título: A FOTOGRAFIA DO COTIDIANO: PRÁTICAS CULTURAIS NA CIDADE DE INHAMBUPE

Mestrando: MARIA APARECIDA RAMOS DE LIMA

Orientador: Prof. Dr. Osmar Moreira dos Santos

RESUMO:

Essa dissertação trata da análise de imagens fotográficas, concernentes à população da cidade de Inhambupe, na Bahia, refletindo sobre as práticas culturais. Vimos que o tipo de fotografia mais antiga tem sido escasso e negligenciado por uma parte da população. As máquinas tradicionais, por conta dos avanços da tecnologia digital, estão sendo substituídas por outras da nova geração, que chegam às pequenas cidades. Apesar disso, em Inhambupe, foi encontrado um grande acervo de fotografias antigas, tiradas entre a década de 30 até o ano de 2008, que se encontravam em posse de pessoas e famílias moradoras da cidade. Metodologicamente, o trabalho enfatizou a pesquisa qualitativa, descritiva e documental, sendo utilizadas as fotografias como objeto de pesquisa, bem como material empírico de análise. Como primeiro passo metodológico, nos declinamos na organização das fotografias, para, em seguida, observar os tipos de práticas culturais que envolviam seu maior contingente. Com base nessa premissa, foi delimitado como problema de pesquisa o seguinte questionamento: em que medida a fotografia possibilita interpretações das práticas culturais exercitadas no cotidiano da cidade de Inhambupe? O objetivo foi analisar as fotografias, identificando as práticas culturais da população de Inhambupe, bem como verificar o significado dos elementos culturais que fazem parte do cotidiano inhambupense. Contudo, este estudo mostra as fotografias como valiosos documentos culturais e literários, sobretudo, relíquias de um povo. Nos resultados, constatamos, a partir das imagens, uma multiplicidade histórica de práticas culturais desenvolvidas na cidade de Inhambupe, vivenciadas pela população. Foram selecionadas algumas destas práticas, por serem consideradas de significativa influência na história da cidade: práticas festivas (micareta) e práticas religiosas (procissões, casamentos, lavagem da igreja, entre outras). Em suma, as imagens fotográficas aqui analisadas foram fontes reveladoras de informações sobre a cultura da população da cidade de Inhambupe, apontando informações relevantes de diferentes momentos históricos desde a década de 30 até o ano de 2008.
Palavras-chave: Cidade de Inhambupe; Práticas culturais; Fotografia; Cotidiano.

Veja texto completo:

Título: QUILOMBOLER: VOZES NEGRAS AO PÉ DA PORTA

Mestrando:MARIA GABRIELA BATISTA NEIVA DE MENEZES

Orientador: Prof. Dr. Osmar Moreira dos Santos

RESUMO:

Este trabalho investiga o impacto da produção literária negra na comunidade quilombola de Lagoinha, localizada no município de São Gabriel-BA, situando e confrontando valores tradicionais, estéticos, políticos e identitários da comunidade. Para tanto, analisa-se a recepção dos Cadernos Negros por estudantes remanescentes da comunidade, de modo a se perceber a construção e reconstrução de suas identidades a partir dessa produção literária. A metodologia utilizada se desdobra a partir de uma perspectiva rizomática, aos moldes do que cunhou Gilles Deleuze (1995) e mobilizada pelos Estudos Culturais, cujos métodos perpassam pelo crivo da História Oral, examinando as práticas e entrevistas agenciadas pelos grupos focais, além das oficinas de leitura (negra). Desse modo, o trabalho com a Literatura Negra contribui para construção de um modelo de representação e de autorrepresentação etnicorracial positivamente afirmado.
Palavras-chave: Literatura Negra. Identidades. Comunidade quilombola

Veja texto completo:

Título: JUBIABÁS: UMA INTERSEMIÓTICA NEGRA COM ROMANCE, CINEMA E QUADRINHOS

Mestrando: MARINALVA LIMA DOS SANTOS

Orientador: Profª Drª Patrícia Kátia da Costa Pina

RESUMO:

O trabalho “Jubiabás: uma intersemiótica negra com romance, cinema e quadrinhos” consiste nos resultados da pesquisa realizada, cuja pretensão foi concretizar um estudo comparado sobre a Tradução Intersemiótica do romance de Jorge Amado Jubiabá (1935), para o cinema feita por Nelson pereira dos Santos (1985) e para História em Quadrinhos, feita por Spacca (2009). O objetivo maior é compreender o processo de Tradução Intersemiótica, enfocando como são produzidas as significações para as temáticas dos negros e suas práticas culturais nas três séries discursivas. Fundamentada por teóricos como Hutcheon (2013), Stam (2008), Hall (1997), Schwarcz (2010), Pina (2012) dentre outros, a pesquisa parte da noção de que quando uma narrativa é adaptada para outras linguagens e mídias ocorre atualização e democratização das temáticas nelas presentes. Além disso, entende-se que as linguagens artísticas povoam o imaginário de seus apreciadores e, consequentemente, influenciam a construção e afirmação das identidades individuais e culturais. Diante disso, no que se refere à identidade negra, torna-se pertinente a abordagem de como elas são construídas na narrativa amadiana e ressignificadas nas Traduções Intersemióticas para outra linguagens e mídias.
Palavras-Chave: Jubiabá. Tradução Intersemiótica. Identidade Negra. Crítica Cultural.

Veja texto completo:

Título: DESLOCAMENTOS PATRIARCAIS PELO FEMINISMO DE CONCEIÇÃO EVARISTO

Mestrando: MARLUCE FREITAS DE SANTANA

Orientador: Prof. Dr. Carlos Magno Gomes

RESUMO:

Apresenta um estudo sobre os deslocamentos patriarcais em Ponciá Vicêncio (2003), de Conceição Evaristo. Tais movimentos operam-se a partir da análise da narrativa sob os fundamentos feministas, do feminismo negro e da crítica cultural. Analisamos o processo de construção da identidade afro-brasileira da protagonista desse romance a partir de seus deslocamentos espaciais. Observa-se que essa personagem não aceita os espaço da tradição patriarcal e se desloca por várias opções subjetivas em uma busca pessoal. Ao rejeitar os lugares tradicionais da casa paterna e do matrimônio, Ponciá é questionada por suas opções heterotópicas, isto é, a valorização de outros espaços poéticos de seu imaginário. Nessa luta particular, a jovem vai se transformando em uma mulher que prima pelo lugar de resistência. Outras personagens também são analisadas em busca dos elementos que ensejaram nossas reflexões de crítica aos valores patriarcais. Como caminho metodológico, partimos dos conceitos de casa propostos pela pesquisadora Elódia Xavier, que identifica a casa jaula, como lugar de prisão da mulher, em oposição a casa ninho, pregada pela concepção patriarcal. Quanto ao estudo dos deslocamentos heterotópicos, respaldamos esta análise pelas categorias propostas por Michel Foucault para os espaços sociais e pelas leituras literárias sugeridas por Carlos Magno Gomes para o deslocamento da mulher nas narrativas da escritora brasileira. No que tange à identidade literária afro-brasileira, dialogamos com a concepção de Eduardo Duarte que considera Conceição Evaristo uma escritora engajada com a luta pelos direitos da mulher negra. Exploramos, ainda, os conceitos de “escrevivência”,“sororidade”,“matrifocalidade”,“ancestralidade”e“ interseccionalidade” como operadores dos deslocamentos patriarcais pelo feminismo articulado à escrita de Evaristo. Assim, apresentamos uma releitura desse romance para destacar as particularidades dos deslocamentos feministas e afro-brasileiros que a autora articula de forma politizada e poética.
Palavras-chave: Deslocamentos patriarcais. Crítica Feminista. Feminismo Negro.Ponciá Vicêncio. Crítica Cultural.

Veja texto completo:

Título: VOZ, POESIA E PERFORMANCE: UM TRÂNSITO ENTRE A ORALIDADE, A ESCRITA E O CINEMA

Mestrando: PRISCILA CARDOSO DE OLIVEIRA SILVA

Orientador: Prof. Dr. José Carlos Felix

RESUMO:

Nesta dissertação, tem-se por objetivo examinar em que medida a voz poética se apresenta, transita e transmuta ao passar por três contos orais coletados por Câmara Cascudo e regis-trados na coletânea Contos tradicionais do Brasil (2001), relacionando-os ao romance As pelejas de Ojuara (2006), escrito por Nei Leandro de Castro, e os cotejando, por meio de uma análise crítica, com o filme O homem que desafiou o Diabo (2007), dirigido por Mo-acyr Góes. A partir dos fundamentos de Paul Zumthor (1993, 2005, 2010) e Costa (2015) busca-se examinar a complexidade da poética da criação popular, suas traduções e os des-locamentos dos textos de tradição em diversos meios, tais como a escrita e o cinema, a fim de evidenciar, a partir das relações existentes nas obras, a singularidade do fazer poético, que, por meio das suas variadas manifestações, torna-se uma das mais importantes formas de expressão humana. Desse modo, neste estudo, faz-se pensar criticamente o status da cultura popular pela estética da existência, da memória e das vivências e as tensões produ-zidas diante da lógica de apropriação e padronização que caracterizam a cultura de massa.
Palavras-chave: Poesia oral; Trânsitos; Literatura escrita; Cinema.

Veja texto completo

Título: BRINCANDO COM CABELOS: UM ESTUDO SOBRE O PROCESSO DE LETRAMENTO COM PROPRIETÁRIOS/AS DE SALÃO DE BELEZA DO MUNICÍPIO DE ALAGOINHAS – BA.

Mestrando: RAIMUNDO WASHINGTON DOS SANTOS

Orientador: Prof.ª Dra. Suely Aldir Messeder

RESUMO: 

Esta pesquisa versa sobre os saberes construídos pelos proprietários de salão de beleza. Aqui, pudemos constatar a existência de trabalhos acadêmicos voltados para entender e explicar o funcionamento do salão de beleza, tendo como mote as seguintes questões: a busca da beleza, o consumo, a estética, a relação com os/as usuários, as imagens e discursos sobre salões de beleza étnicos. Nesta senda, nota-se a escassez de estudos que se preocupam em compreender a formação, ou melhor, o processo de letramento desse proprietário, ou mesmo, considerá-lo como um potencial para ser um agente de letramento. Em nossos procedimentos metodológicos aplicamos questionários, cujos conteúdos foram divididos em três blocos: a) a história do estabelecimento; b) funcionamento do salão; c) perfil dos/as proprietários/as, com ênfase em sua trajetória no território do salão de beleza. Assim, a realização desta pesquisa se dá por entendermos que se faz necessário aprofundar o conceito de letramento como multifacetado, presente nas diferentes esferas da atividade humana e da necessidade de compreender e identificar nos estudos de letramento as práticas sociais dos proprietários/as de salão que estão envolvidas, de certo modo, no vender um serviço e em troca obter resultado financeiro. É preciso alertar que este estudo integra-se ao projeto intitulado “A construção da tecnologia social com as microempresárias e os CETEP (CENTRO DE ESTUDOS TÉCNICOS E PROFISSIONALIZANTES)”, com efeito, os salões de beleza devem ser considerados um espaço de aprendizado, cujos processos de letramento devem tornar-se uma agenda pública nos CETEP com a formação de profissionais para atuarem neste mercado específico.

Palavras-chave: Processo de letramento. Agente de letramento. Salão de Beleza. Crítica Cultural.

Veja texto completo

Título: FORMAÇÃO DE PROFESSORES E RELAÇÕES ÉTNICO-RACIAIS EM ESCOLAS PÚBLICAS DE GUANAMBI-BA

Mestrando: SELMA MARIA BATISTA DE OLIVEIRA

Orientador: Profa. Dra. Maria Nazaré Mota de Lima.

RESUMO:

O presente estudo versa sobre a formação de professores e relações étnico-raciais em Escolas Públicas do município de Guanambi, Estado da Bahia. Trata-se de uma pesquisa de campo com método colaborativo e abordagem qualitativa. Como instrumentos de coleta de dados, foi utilizado diário de campo no registro das impressões, observações e andamento da pesquisa, aplicados questionários e realizadas entrevistas semiestruturadas. O corpus da pesquisa foi constituído por 6 professores com formação na área de linguagens, alocados nas duas principais escolas públicas da Rede Estadual da cidade. Investigou-se como a formação dos professores de línguas os prepara para lidar com as questões étnico-raciais na escola; se/ como essa formação contribui para construção de uma educação antirracismo; e quais desafios estes professores tem encontrado para trabalhar com as questões raciais na sala de aula. Tendo como objetivo analisar a formação dos professores de linguagens da Cidade de Guanambi, concernente à temática da diversidade étnico-racial na Educação Básica da Rede Pública Estadual, contribuições teóricas de estudos culturais e da linguística aplicada indisciplinar foram utilizadas, a fim de discutir a influência dos fatores históricos, políticos, sociais e culturais no contexto da educação. Como resultado, constatou-se que os professores de linguagens não têm recebido a formação adequada para trabalhar com a diversidade étnico-racial na escola, sendo essa ausência um dos entraves na afirmação da identidade negra nos espaços educacionais.

Palavras-chave: formação de professores, educação antirracismo, afirmação de identidade, Lei 10.639/ 2003.

Veja texto completo

Título: PRÁTICAS DE LETRAMENTO EM FLE: RESSIGNIFICAR PARA FORMAR O SUJEITO CRÍTICO

Mestrando: SÍLVIA MARIA SANTOS MARINHO

Orientador: Profª Dra. Elisângela Santana

RESUMO: 

Esta pesquisa tem por objetivo investigar as práticas de letramento, a partir de observação de experiências relatadas por professores de Língua Francesa de duas escolas estaduais do município de Alagoinhas e estagiários do curso de Letras com Habilitação em Língua Francesa, da UNEB, ministrantes das Oficinas Croissant, petit gâteau et cassoulet: conhecendo la cousine français;La langue française: la construction de l’identité à travers de la musique; As redes sociais como ferramentas para o ensino de língua francesa, em três escolas de regiões circunvizinhas, com vistas a identificar como a atuação desses docentes pode contribuir para a formação de sujeitos críticos e de que forma o ensino de FLE promove o reconhecimento desse indivíduo, enquanto cidadão, para que ele possa descobrir as várias formas de conhecer o mundo. O presente trabalho terá como suporte teórico estudos realizados por Paulo Freire (1980, 1987, 1989, 1996), Magda Soares (2001); Ângela Kleiman (2004, 2006); Tomaz Tadeu da Silva (2013); Silviano Santiago (2004); Gilles Deleuze e Félix Guattari (1995), Maria José Coracini (1995,2011), Jean-Louis Roy (2010), Edgardo Lander (2005),dentre outros autores para discutir e ressignificar as práticas de letramento e a formação do professor de língua estrangeira (Francês). Esses autores são tomados como referência, na medidaemquerefletem sobre o processo de formação do sujeito crítico e a formação do professor de língua estrangeira. Para desenvolvimento desse trabalho, serão feitas observações em sala de aula, além de entrevistas, para visibilizar e investigar o trabalho desenvolvido por professores de ensino de FLE.
Palavras-chave: Práticas de letramento. Sujeito crítico. Professor de FLE.

Veja texto completo

Título: POESIA DE CORDEL: LEITURA E LETRAMENTOS NA EDUCAÇÃO DE JOVENS E ADULTOS – EJA

Mestrando: SÍLVIA GOMES DE SANTANA VELLOSO

Orientador: Profa. Dra. Patrícia Kátia da Costa Pina

RESUMO:

A poesia de Cordel ganhou novos espaços nos contextos acadêmico e escolar, a partir do final do século XX. Entretanto ainda é abordada de forma periférica e complementar. A poética de sua linguagem não é potencializada como instrumento de formação leitora, nem no ensino regular, nem na Educação de Jovens e Adultos – EJA, modalidade educacional cujo público traz especificidades de repertórios, que demandam a interação com variados gêneros de textos tradicionalmente considerados populares, dentre os quais destaco o cordel. Entendendo o letramento como o uso social da leitura e da escrita, conforme proposto por Soares (2009), questiona-se se essa literatura pode, efetivamente, contribuir para o letramento entre estudantes da Educação de Jovens e Adultos- EJA. Parto da hipótese de que por dialogar, enquanto linguagem e conteúdo, com as vivências desse grupo de educandos, a poesia cordelista pode aproximá-los do impresso e despertar-lhes o gosto pela leitura. Desse modo, esta pesquisa caracteriza-se como qualitativa, desenvolvida através dos métodos bibliográfico, documental e de intervenção no espaço escolar. Espera-se contribuir positivamente para se pensar em estratégias de ensino de leitura que focalizem os gêneros textuais como espaços interdiscursivos que surgem em interação com as práticas cotidianas dos diferentes sujeitos. Na EJA, como será apontado a partir das ideias de Arroyo (2005), dentre outros autores, esse processo exige importante atenção, pois se trata de um público composto de jovens, trabalhadores e trabalhadoras, pais, mães, enfim, sujeitos que trazem para o espaço escolar experiências de vida com as quais a escola precisa dialogar.
Palavras-chave: Leitura. Poesia de cordel. EJA. Letramentos.

Veja texto completo